Cidade de São Paulo tem recorde de frio pelo segundo dia consecutivo

Paulistanos tiveram de tirar os casacos do armário para encarar o frio na capital paulista - Rivaldo Gomes/Folhapress

Paulistanos tiveram de tirar os casacos do armário para encarar o frio na capital paulista – Rivaldo Gomes/Folhapress

A cidade de São Paulo registrou recorde de frio na madrugada desta terça-feira (25) pelo segundo dia consecutivo, segundo o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas), da Prefeitura de São Paulo. A temperatura mínima média foi de 9,6°C, a mais baixa do ano.

De acordo com o CGE, a menor mínima absoluta, registrada em uma estação meteorológica, foi em Engenheiro Marsilac, na zona sul, com 2,6°C. O recorde anterior havia sido na madrugada desta segunda-feira (24), com 11,6°C de média na cidade e 7,2°C em Engenheiro Marsilac.

Segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), a temperatura oscilou entre 10ºC e 23ºC.

Segundo Michael Pantera, meteorologista do CGE, a passagem de uma frente fria no fim de semana foi a responsável por derrubar as temperaturas. Ele explica ainda que o tempo aberto também favoreceu a um começo de semana gelado. “O tempo aberto ajudou a causar temperaturas ainda mais baixas, já que a nebulosidade funciona como um cobertor e ajuda a diminuir a perda de calor durante a madrugada”, disse Pantera.

Quem tem que levantar cedo para ir para o trabalho se aquece como pode para encarar o frio. É o caso do ajudante de obra Artur dos Santos, 36 anos, que todos os dias sai de casa às 5h, no Capão Redondo (zona sul), para ir até Interlagos (também na zona sul). Para encarar o trajeto de uma hora de ônibus, ele conta que usa três blusas, uma calça de moletom, duas meias e touca na cabeça. “É ruim, mas para mim ainda está tranquilo. Duro é para quem está na rua e não tem onde morar”, afirmou.

Até mesmo quem não sente muito frio, como é o caso da auxiliar de cozinha Glaucia Barbosa de Moraes, 32 anos, que mora no bairro Vargem Grande (zona sul), teve que se render ao agasalho mais pesado para chegar quente ao trabalho, no Jardim Guarapiranga (zona sul). “Eu não sou muito de sentir frio, mas hoje saí com duas blusas. O jeito é se agasalhar bem e tomar um chocolate quente”, disse.

Previsão para os próximos dias
De acordo com o CGE, esta quarta-feira (26) também deve começar gelada, com termômetros oscilando em torno dos 11°C durante a madrugada. No decorrer do dia, o sol favorece a gradativa elevação das temperaturas, com máximas que podem chegar aos 23°C e umidade relativa do ar atingindo valores próximos aos 30%.

A propagação de áreas de instabilidade aumenta a nebulosidade no final do dia e há previsão de chuva fraca e isolada para o período da noite.

Já na quinta-feira (27), o sol aparece entre nuvens e favorece a elevação das temperaturas. Os termômetros devem variar entre 13°C e 24°C, com índices de umidade que podem chegar aos 30% nas horas mais quentes. No final da tarde a nebulosidade aumenta com a chegada da brisa marítima, mas não há condições para chuva.

Na sexta (28), os termômetros devem subir um pouco mais, ficando entre 14ºC e 27ºC, segundo o Inmet. O sábado deverá ser um pouco mais quente, com a mínima em 18ºC e a máxima em 30ºC.

Prefeitura
De acordo com balanço da Operação Baixas Temperaturas, da SMADS (Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social), na madrugada desta terça (25) 199 pessoas foram acolhidas, houve 22 recusas e 200 cobertores foram distribuídos.

Segundo a pasta, foram criadas 2.159 novas vagas de abrigo durante a pandemia. Desse total de vagas, 1.667 estão em funcionamento. Os equipamentos funcionam 24 horas.

Desde 30 de abril, quando foi instituído o comitê para o “Plano de Contingência para Situações de Baixas Temperaturas – 2021”, a prefeitura afirma que foram contabilizados 4.114 acolhimentos, 241 recusas e 3.362 cobertores distribuídos.

O encaminhamento para os serviços de acolhimentos podem ser realizados por procura espontânea pela rede direta, que são:

  • CRAS (Centros de Referência de Assistência Social)
  • CREAS (Centros de Referência Especializados de Assistência Social)
  • Centros POP (Centros de Referência Especializado para População em Situação de Rua)
  • CPAS (Coordenação de Pronto Atendimento Social)
  • Busca ativa em logradouros públicos que são realizados pelos SEAS (Serviços Especializados de Abordagem Social)

Cuidados com a saúde
De acordo com José Roberto Zimmermann, médico alergista e pneumologista, o tempo frio aumenta o risco de doenças cardiovasculares e respiratórias, principalmente quem possui doença crônica, em idosos e crianças. “O frio pode causar urticária, úlcera, congelamento dos pés, mãos e face, hipotermia, frieiras e formação de cristais de gelo na epiderme”, alertou o especialista.

Até a pele sofre com as temperaturas baixas. Segundo Patrícia Ludwig, médica especializada em estética, o inverno leva o corpo a baixa transpiração, e isso faz com que a pele fique mais seca. Além disso, ela conta que os banhos quentes acabam tirando a oleosidade natural da pele de uma forma mais intensa. “O ressecamento gerado por esses fatores podem acabar deixando a pele com aspecto esbranquiçado, que é um alerta sobre a desnaturação das proteínas”, explicou a médica.

Dicas para sua saúde em dias frios:

  • Use protetor labial
  • Use hidratantes corporais
  • Beba água
  • Mantenha os ambientes arejados
  • Tenha uma alimentação adequada
  • Pratique exercícios físicos
  • Passe protetor solar