Cidade de SP ultrapassa a marca de 4 milhões de vacinas contra Covid-19

vacinacao-covid-sao-paulo

A Secretaria Municipal da Saúde da capital paulista afirmou, neste sábado (15), dia em que abriu mais de 1.000 postos de vacinação, que a cidade de SP ultrapassou a marca de 4 milhões de doses de vacina aplicadas contra o novo coronavírus.

Além da imunização contra a Covid-19, o Dia D de vacinação também teve postos abertos para a imunização contra a gripe.

Segundo a plataforma VaciVida, da gestão João Doria (PSDB), 4.120.491 de doses haviam sido aplicadas até a noite deste sábado na cidade, sendo 2.682.797 vacinados com a primeira dose e outras 1.437.694 com o reforço. A secretaria não havia divulgado o balanço da vacinação no Dia D até a conclusão desta reportagem.

A UBS (Unidade Básica de Saúde) Jardim Miriam 2, no Jardim Miriam, região de Itaim Paulista (zona leste), foi um dos 600 pontos exclusivos para vacinação contra o coronavírus. Foi lá que o advogado Jonas Pimentel, 33 anos, levou o avô Francisco Pimentel, 83, para tomar a segunda dose.

“Meu avô tomou a segunda dose da esperança, mas a pandemia está longe de acabar no Brasil, infelizmente. Por isso, devemos continuar nos cuidando.”

A prefeitura de São Paulo anunciou neste sábado que antecipou a vacinação contra a Covid-19 para profissionais de saúde com mais de 42 anos.

Entre segunda-feira (17) e quarta (19) será a vez das gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto) maiores de 18 anos com comorbidades serem imunizadas contra a Covid-19. De acordo com a prefeitura, elas receberão a primeira dose do imunizante da Pfizer. A segunda dose será aplicada em 12 semanas. O mesmo vale para profissionais de saúde com mais de 42 anos. Já na terça (18), os trabalhadores do transporte coletivo serão imunizados.

Segundo boletim informativo da prefeitura, os postos de drive-trhu, em que não é preciso descer do carro para vacinar, serão desativados nesta segunda. Mas serão mantidos os oito megapostos para vacinação de pedestres, onde será aplicada a primeira dose. Nas 468 UBSs e AMA/UBS Integradas é possível tomar a primeira e a dose de reforço.

Gripe
A secretária escolar Carla Aparecida Marcondes de Assis, 53, foi até a Emef (Escola Municipal de Ensino Fundamental) Chiquinha Rodrigues, no Campo Belo (zona sul), para tomar a vacina contra a gripe. A instituição de ensino foi uma das 460 escolas e estabelecimentos que vacinaram o público com a segunda fase contra Influenza, formado por pessoas a partir de 60 anos e profissionais da educação.

“Sinto-me privilegiada, mas vou me sentir mais segura quando muito mais gente for vacinada, tanto contra a gripe quanto contra a Covid”, afirmou.

A Secretaria Municipal da Saúde disse que quem tomou a vacina contra a Covid-19 deve esperar 14 dias para ser imunizado contra a gripe.

Pessoas diagnosticadas com Covid ou que tiveram alta há menos de 28 dias não poderão tomar a vacina da gripe neste momento.

Davi Rumel, médico epidemiologista e professor do curso de medicina da USCS (Universidade Municipal de São Caetano) destacou a importância de tomar as vacinas contra a gripe e a Covid-19.

“Quem toma as duas vacinas, além de se proteger, ajuda o sistema de saúde a não ficar lotado, permitindo melhor qualidade de atendimento a quem o venha precisar por qualquer doença”, afirmou o especialista.

Diferentemente dos últimos anos, a primeira etapa da vacinação contra a gripe em 2021 começou pelos trabalhadores de saúde, crianças de 6 meses a 5 anos, indígenas, gestantes e puérperas. A definição dessa mudança por parte do PNI (Plano Nacional de Imunização) ocorreu para evitar o cruzamento de pessoas com mais de 60 anos que estão sendo imunizadas contra a Covid-19.

A terceira e última fase da campanha está prevista para começar no dia 9 de junho. De lá até 9 de julho, serão imunizados, entre outros, portadores de doenças crônicas, caminhoneiros, trabalhadores do transporte público, de portos, agentes do sistema prisional, adolescentes e jovens custodiados e privados de liberdade. Públicos anteriores também podem ser vacinados. A estimativa do governo municipal é que pelo menos 4,7 milhões de pessoas recebam a vacina até o encerramento da campanha.