Confira onde investir o dinheiro do FGTS

FGTSDesde sexta-feira, cerca de 7,6 milhões de trabalhadores nascidos em junho, julho e agosto podem sacar a grana das contas inativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) Muitos brasileiros pretendem usar o dinheiro extra para quitar dívidas, mas também pode ser uma oportunidade de começar ou engordar a reserva financeira.

A Caixa calcula que 90% das pessoas com contas inativas têm até R$ 3.000 para sacar. “É uma renda estratégica, que deve ser preparada para o imprevisto. Jamais gaste-o de forma descontrolada”, afirma Pedro Raffy Vartanian, professor doutor de Economia e Mercados da Universidade Mackenzie.

Deixar a grana no próprio FGTS também não é uma opção, já que o fundo é pouco rentável.
Com tantos modelos de aplicações disponíveis, o importante é não deixar o dinheiro parado. “Embora renda pouco, a poupança é uma opção se sua intenção é retirar o dinheiro a curto prazo. Se pensa em investimentos entre um e dois anos, escolha os CDBs (Certificados de Depósito Bancário), que variam com taxas entre 7,45% e 8,28% ao ano”, sugere o professor.

Outra possibilidade opção é o Tesouro Direto, uma das aplicações mais populares no momento, que também pode render até 8,28% ao ano, dependendo da modalidade contratada. “Se o investimento for a médio ou longo prazo, aposte na Previdência Privada”.

Para o investidor de primeira viagem, que tem pouca ou nenhuma experiência no mercado financeiro, falar em CDB, Tesouro Direto, Fundos de Investimento, Poupança e tantos outras modalidades de investimento pode fazê-lo entrar em “parafuso”. Por isso, ainda há aqueles que preferem adquirir um bem material ou manter a grana na boa e velha poupança. É o caso de Artur Rosa, 26 anos, que atualmente é dono de estacionamento. O jovem foi mandado embora de uma montadora no final de 2015. Desde então, sua carteira profissional não sabe mais o que é receber tinta fresca de caneta vinda de uma admissão. “Penso em usar parte da grana para reformar meu apartamento e a outra guardarei”, conta.

Gastos devem ser controlados

Ao liberar o saque das contas inativas do FGTS, o governo tinha como objetivo aumentar o consumo e movimentar a economia. É isso o que muitos trabalhadores vão fazer.

No entanto, os economistas sugerem que os gastos sejam controlados. O ideal é guardar parte da grana, já que o FGTS é um fundo para proteger o trabalhador.

Uma opção é fazer como Artur Rosa, 26 anos, demitido de uma montadora no final de 2015, que viu no dinheiro uma oportunidade para reformar o apartamento. “Vou usar uma parte e a outra guardarei.”