Cai o ritmo de aumento de mortes por Covid-19 na capital paulista

Dos 96 distritos da cidade, só a Bela Vista (centro) registrou crescimento de mortes acima de 20%. - Rivaldo Gomes/ Folhapress

Dos 96 distritos da cidade, só a Bela Vista (centro) registrou crescimento de mortes acima de 20%. – Rivaldo Gomes/ Folhapress

O ritmo do aumento de mortes por Covid-19 nos 96 distritos de capital paulista desacelerou, segundo dados divulgados pela Secretaria Municipal da Saúde, gestão Bruno Covas (PSDB), neste sábado (4).

O levantamento, que leva em conta os óbitos confirmados e suspeitos da doença até 29 de junho, mostra que só um distrito da cidade teve aumento percentual de mortes acima de 20% em relação à última divulgação, feita em 18 de junho. Nesta data, 52 dos 96 distritos registravam aumento de mortes acima desse percentual.

A Bela Vista (região central de SP) registrou 24,3% (de 37 para 46) de aumento no número de mortes de Covid-19 em 29 de junho.

Quatro distritos somaram apenas uma morte no período: Brás, Sé (ambos no centro), Alto de Pinheiros e Jaguara (ambos na zona oeste). Marsilac, no extremo da zona sul, não registrou óbitos no período. Já o Pari, na região central, teve um recuo de 27 para 26 mortes (redução de 3,7%).

Para efeitos de comparação, em 14 de maio, o crescimento de mortes mais que dobrava de uma semana para outra em diversos distritos da cidade.

No levantamento anterior, a região do Grajaú (zona sul de SP), por exemplo, registrou 52 novas mortes. Neste, foram 23 óbitos. Já o Sacomã, também na zona sul, havia somado 49 mortes em 18 de junho, ante 23 no em 29 do mesmo mês.

Sapopemba

Já em números absolutos, o Sapopemba (zona leste de SP) continua líder em mortes confirmadas e suspeitas por Covid-19 na capital paulista, com 327 registros. Brasilândia (zona norte), Grajaú, Jardim Ângela, Capão Redondo e Sacomã (ambos na zona sul), são as regiões que ainda concentram mais óbitos na cidade.

Quem mora em Sapopemba ainda se assusta com os números de mortes por Covid-19. Esse é o caso do operador de máquina Guilherme Pereira, 27 anos. “Muitas pessoas ainda não se conscientizaram de que o caso é sério e que devemos nos proteger ao máximo”, disse.

Resposta

A Secretaria Municipal da Saúde afirmou que os mais de mil equipamentos de Saúde têm prestado atendimento para todos os casos, independentemente de diagnóstico confirmado ou suspeita da Covid-19, o que tem contribuído para o controle da pandemia, principalmente nas áreas mais afetadas. As ações nos equipamentos são complementadas com as ações de campo dos agentes de saúde, com 1,3 milhão de abordagens até 19 de junho.