Ex-diretora da CET assume secretaria de Transportes de São Paulo

Elisabete França, arquiteta e urbanista, é nova secretária de Mobilidade e Transportes na cidade de São Paulo - Divulgação

Elisabete França, arquiteta e urbanista, é nova secretária de Mobilidade e Transportes na cidade de São Paulo – Divulgação

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), nomeou a ex-diretora de Planejamento e Projetos da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego), Elisabete França, como a nova secretária municipal de Mobilidade e Transportes. A nomeação foi publicada no Diário Oficial da Cidade neste sábado (20).

Elisabete assume o posto que era de Edson Caram, à frente da pasta desde dezembro de 2018, mas que pediu demissão no dia 12 deste mês, mesma semana em que o prefeito ameaçou dispensá-lo caso os ônibus na cidade ainda trafegassem com pessoas em pé. Caram agora assume o cargo de secretário executivo do prefeito.

“O secretário [de transportes, Edson Caram] tem até sexta (12) para conseguir fazer isso [que os ônibus não tenham pessoas em pé]. Se até sexta ele não conseguir fazer isso, a partir de segunda é outro secretário que vai tentar fazer”, disse Covas no último dia 8.

Nesta sexta-feira (19), o prefeito desistiu da recomendação às empresas de ônibus para que os coletivos rodassem somente com passageiros sentados, com objetivo de reduzir a contaminação por coronavírus.

Segundo afirmou SPTrans, que administra o transporte urbano por ônibus na cidade, uma nova consulta à Vigilância Sanitária esclareceu que a posição em que o passageiro é transportado não é o fator mais importante na transmissibilidade da doença, mas, sim, o distanciamento, aliado a hábitos de higiene como lavar as mãos com água e sabão, usar álcool em gel e o uso permanente de máscaras.

Essa medida vinha gerando polêmica por ser difícil de cumprir. Motoristas e cobradores alegavam que não conseguiam fazer o controle dos passageiros. Na segunda-feira (15), a capital paulista bateu recorde de passageiros nos ônibus na quarentena. Mais de 3,5 milhões passaram pelas catracas do sistema de transporte público municipal.

Essa é a terceira vez que Bruno Covas recua em uma decisão ligada a transportes e trânsito para tentar frear o avanço do novo coronavírus. No começo de maio, a prefeitura promoveu bloqueios em ruas e avenidas da cidade pela manhã, mas a medida durou apenas dois dias, pois provocou engarrafamentos nos locais e prejudicou a passagem de ambulâncias.

Depois foi a vez do megarrodízio ampliado e mais restritivo, com liberação para circulação de veículos com placas final par em dias pares e ímpares, em dias ímpares. Entretanto, a medida durou apenas uma semana, já que provocou lotação no transporte público.

Sobre Elisabete França

Elisabete França, nova secretária municipal de Mobilidade e Transportes da cidade, é arquiteta urbanista, com experiência em projetos urbanos, ambientais, habitacionais e de mobilidade urbana.

Entre 2015 e julho de 2018 foi diretora de Planejamento e Projetos da Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano do Estado de São Paulo.

Já entre 2010 e 2012 foi secretária de Habitação e, entre 2005 e 2012, atuou como Superintendente de Habitação da Secretaria de Habitação da Cidade de São Paulo, onde coordenou a elaboração do Plano Municipal de Habitação e vários programas habitacionais, com destaque para Urbanização de Favelas, Recuperação Urbana e Ambiental nos Mananciais e Recuperação de Cortiços na região central da cidade.