Concessionárias e escritórios reabrem no ABC

Carros estacionados em concessionária de veículos no ABC - Renato Fontes/Folhapress

Carros estacionados em concessionária de veículos no ABC – Renato Fontes/Folhapress

Concessionárias e revendedoras de veículos e escritórios em geral das setes cidades que formam a região do ABC Paulista voltaram a realizar atendimento ao público neste sábado (6) em meio a pandemia do novo coronavírus. Coube a cada um dos municípios publicar decreto próprio sobre a questão.

O protocolo de higiene é único para todas as cidades. As lojas de veículos só podem abrir por quatro horas (das 13h às 17h) com 20% de sua capacidade; os atendimentos precisam ter intervalo de 30 minutos e devem respeitar distanciamento de 1,5 metro; os estabelecimentos precisam oferecer álcool em gel e medir a temperatura dos clientes na entrada. Já os escritórios devem funcionar entre 10h e 14h.

Mas essa decisão, tomada na sexta (5), após reunião entre os prefeitos de Santo André, São Bernardo do Campo, São Caetano do Sul, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra no Consórcio Intermunicipal do Grande ABC, contraria as regras determinadas pelo governo do estado, gestão João Doria (PSDB), para flexibilização da quarentena, pois a região permanece na fase vermelha, em que não é permitido o funcionamento de serviços não essenciais. “O Governo se posiciona contrário à flexibilização e abertura de concessionárias na fase vermelha”, diz a nota da secretaria estadual de Desenvolvimento Regional, chefiada por Marco Vinholi (PSDB).

Já o Consórcio ABC se defende em nota dizendo que as cidades “apresentaram indicadores relacionados ao novo coronavírus que já cumprem os critérios determinados pelo Governo do Estado e possibilitam isonomia na reabertura gradual da economia”, diz o texto.

Adilson da Silva Júnior, dono de uma revendedora de carros em São Caetano do Sul, que estava fechada desde março, se animou com a abertura gradual. “Em 60 anos de história, nunca ficamos tanto tempo parados. Tive 70% de redução no faturamento e infelizmente precisei mandar funcionários embora”, disse ele, que comemorou o fato de ter tido três atendimentos agendados só no sábado de interessados em algum dos seus 80 carros expostos no salão. A loja continha álcool gel e respeitava a distância, mas não estava medindo a temperatura.

Em Santo André, Michelle Urtado, vendedora de uma loja de carros, também celebrou. “Entendemos a preocupação do governo com a saúde, mas eles também devem olhar pelo lado econômico. Precisamos trabalhar, se não quebramos”, afirmou ela, que conta que o faturamento da loja foi prejudicado em 90%. Na entrada já tinha o aviso: obrigatório o uso de máscara.

Teve aqueles que foram pegos de surpresa com a decisão do Consórcio e precisaram correr contra o tempo para deixar a “casa em ordem”. Foi o caso do Arlindo Batista, dono de uma loja de veículos em São Bernardo do Campo. “Não estávamos esperando essa decisão sair tão já. Agora, temos que correr para deixar os carros limpos e higienizados para os clientes”, disse.

Uma reunião do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC com o secretário de Desenvolvimento Regional Marco Vinholi (PSDB), que trataria da retomada econômica da região, foi cancelada de última hora neste sábado e transferida para a próxima semana. Nova data e horário serão informados, diz a secretaria.