Bombeiros encontram corpo de capoeirista que tentou socorrer vítimas da chuva no litoral de SP

Rafael Rodrigues, 37 anos, professor de capoeira que morreu ao tentar socorrer vítimas das chuvas no Guarujá (SP) no último dia 3 de março. Seu corpo foi encontrado neste domingo (8) - Arquivo pessoal

Rafael Rodrigues, 37 anos, professor de capoeira que morreu ao tentar socorrer vítimas das chuvas no Guarujá (SP) no último dia 3 de março. Seu corpo foi encontrado neste domingo (8) – Arquivo pessoal

O corpo do professor de capoeira Rafael Rodrigues, 37 anos, conhecido como “Rafael Capoerista”, foi encontrado soterrado na manhã deste domingo (8) no morro do Macaco Molhado, em Guarujá (86 km de SP). A informação foi confirmada pelo Corpo de Bombeiros.

Rodrigues estava desaparecido desde a madrugada da última terça (3), quando parte do morro veio abaixo por conta das fortes chuvas que atingiram a Baixada Santista.

Com mais essa vítima confirmada, a Defesa Civil de São Paulo contabiliza 42 o número de mortos por causa da tragédia em Guarujá, Santos (72 km de SP) e São Vicente (65 km de SP). Até a tarde deste domingo, 36 pessoas continuavam desaparecidas.

“O corpo do Rafael foi reconhecido por causa de uma tatuagem com o nome do filho no braço. Por ser muito querido na comunidade, estava ajudando no resgate das vítimas, mas quis o destino que ele não saísse de lá com vida”, afirmou o capitão Marcos Palumbo, porta-voz do Corpo de Bombeiros.

O oitavo dia tem buscas somente na Barreira do João Guarda e no Macaco Molhado, em Guarujá, pois não há mais desaparecidos em Santos e São Vicente, segundo os bombeiros.

De acordo com a Defesa Civil do estado, Guarujá concentra o maior número de vítimas, com 31 mortos. Em Santos foram oito mortes e, em São Vicente, três.

O número total de desabrigados soma 514, sendo 329 pessoas no Guarujá e 185 em Santos.

Desde sábado (7), 40 militares das Forças Armadas, sendo 30 do Exército e 10 da Aeronáutica, reforçam o trabalho triagem de donativos e assistência, em conjunto com as defesas civis municipais e estadual.

Foram disponibilizadas 30,5 toneladas de materiais de ajuda humanitária, entre colchões, cobertores, cestas básicas, roupas, água sanitária, kits de limpeza, kits de higiene e água potável, segundo a Defesa Civil.