Motociclista e garupa morrem degolados com corda de nylon

Corda de nylon amarrada a grades e a um cone foi colocada na pista sentido bairro sobre a ponte Jânio Quadros, na Vila Maria, para impedir acesso de veículos durante a obra emergencial no local - Reprodução/TV Globo

Corda de nylon amarrada a grades e a um cone foi colocada na pista sentido bairro sobre a ponte Jânio Quadros, na Vila Maria, para impedir acesso de veículos durante a obra emergencial no local – Reprodução/TV Globo

Um motociclista e o garupa da moto morreram degolados por uma corda de nylon na madrugada deste sábado (17) após ultrapassarem um bloqueio montado pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) para impedir o acesso de veículos à ponte Jânio Quadros (zona norte). Conhecida como ponte da Vila Maria, que faz ligação com o Belém (zona leste), o acesso está interditado no sentido bairro para reformas emergenciais na parte inferior desde sexta-feira (16).

A corda, que atravessava de ponta a ponta a via e estava amarrada em cones e grades para impedir a passagem de veículos, atingiu o pescoço do barman William de Souza Falcão, 30 anos, que pilotava a moto e foi degolado. Já o garupa, não identificado até a publicação desta reportagem, sofreu um corte profundo no pescoço e também morreu no local. Uma das grades foi arrancada com a força do impacto da moto.

Segundo a CET, a dupla vinha da avenida Guilherme Cotching, na Vila Maria, não respeitou a primeira sinalização feita com cones de trânsito e uma viatura da CET e subiu a ponte, que passa sobre a marginal Tietê. A moto estava em alta velocidade e só parou após o motociclista atingir a corda, segundo a CET.

A Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros foram acionados por volta das 3h, mas encontraram as vítimas já mortas. Um boletim de ocorrência foi registrado e a perícia técnica foi acionada para o local.

A reportagem esteve na ponte Jânio Quadros na tarde deste sábado (17) e constatou que o local está sinalizado e com agentes da CET orientando o tráfego na região.

A Secretaria da Segurança Pública, gestão João Doria (PSDB), afirmou que o caso foi registrado no 20º DP (Água Fria) como homicídio culposo na direção de veículo automotor e morte suspeita.

Tráfego em pista da ponte Vila Maria fica interditado até segunda

A pista no sentido centro-bairro da ponte Jânio Quadros, popularmente conhecida como ponte da Vila Maria (zona norte), está interditada pela CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) desde às 22h de sexta-feira (16). A interrupção no tráfego prossegue até às 5h de segunda-feira (19).

De acordo com a CET, o fechamento da via é necessário para a continuidade das obras em duas das quatro vigas de sustentação danificadas por sucessivas colisões de caminhões que, segundo o órgão, não respeitam o limite de altura permitido na ponte.

Os serviços, que começaram no fim de maio, devem ser concluídos só no fim do ano. Desde que as obras foram iniciadas, o tráfego de caminhões está proibido na ponte.

CET diz que só utiliza cones e faixas para sinalização de trânsito

A CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) disse na tarde deste sábado (17), por telefone, que não é a responsável pela corda de nylon que matou degolados o barman e piloto da motocicleta William de Souza Falcão, 30 anos, e o seu garupa, na madrugada deste sábado (17), na ponte Jânio Quadros (zona norte). A companhia não respondeu o email enviado pela reportagem questionando sobre a corda no acesso à ponte.

Um agente da CET que orientava o trânsito ontem à tarde na ponte Jânio Quadros disse à reportagem, sem se identificar, que a CET utiliza apenas cones e faixas zebradas para sinalização de intervenções no trânsito.

A reportagem procurou a Concrejato, responsável pelas obras emergenciais realizadas na ponte da Vila Maria desde maio, por meio de um supervisor que estava na obra, mas o funcionário não deu entrevista. A reportagem também tentou entrar em contato por telefone com a empresa, mas não obteve retorno.