Embarque preferencial não funciona na linha 1 do metrô

MODELO EXTERNOA falta de respeito por parte dos passageiros, aliada à falha no sistema de fiscalização, tem prejudicado o bom andamento do serviço de embarque preferencial do metrô. O Vigilante Agora esteve na terça-feira em 14 plataformas de dez estações e registrou os transtornos enfrentados pelos usuários desse serviço.

Criado em 2009, o sistema dá a idosos, deficientes, gestantes, obesos e pessoas com crianças no colo espaço reservado na hora de pegar o trem, no primeiro vagão do metrô, empresa do governo Geraldo Alckmin (PSDB). O serviço funciona de segunda a sexta-feira, em horários de pico da manhã (6h às 9h) e da tarde (16h às 19h30).

Na linha 1-azul, o sistema simplesmente não funcionava, graças a invasões constantes, má sinalização e falta de fiscais. A 3-vermelha teve problemas pontuais. Já a 2-verde apresentou excelência no embarque preferencial.

Na estação Brás, na plataforma em direção à Palmeiras Barra-Funda (linha 3-vermelha), eram 6h e o bloqueio para o embarque preferencial não havia sido montado. Com a má sinalização, jovens e idosos dividiam acesso aos vagões. “Nem parece que temos esse direito, pois está todo mundo misturado”, disse a dona de casa Nair da Cunha, 64 anos

Na estação Tucuruvi, sentido Jabaquara (linha 1-azul), mensagens sonoras, grades usadas para delimitar os espaços e até a presença de um funcionário do metrô não foram capazes de inibir a invasão de dezenas de jovens, uns até com malas de viagem.

No período da tarde, os problemas se repetem. Na estação Palmeiras-Barra Funda (linha 3-vermelha, passageiros furavam o bloqueio mesmo com uma agente no local -que liberou a entrada de três PMs na área preferencial, por volta das 17h.

Companhia diz que serviço depende do respeito de passageiros

O Metrô, empresa do governo Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou que a eficácia do embarque preferencial, assim como o do assento preferencial nos trens, depende da colaboração e do respeito dos demais usuários.

A companhia pede que “apenas acessem essas áreas pessoas que estejam contempladas nos critérios de embarque”, que são os idosos, gestantes e pessoas com mobilidade reduzida.

O Metrô não comentou a falta de fiscalização nos bloqueios de embarque preferencial.

Já a Polícia Militar não se manifestou sobre o embarque dos três oficiais na plataforma da estação Palmeiras Barra-Funda, na área preferencial, por volta das 17h de terça-feira.