Botões sem fio de ônibus falham e irritam passageiros

Personal accounting

Passageiros das linhas de ônibus 5630/10 (Metrô Brás/ Terminal Grajaú), 5370/10 (Terminal Varginha/Largo São Francisco) e 695X/10 (Terminal Varginha/Metrô Jabaquara), que ligam Interlagos (zona sul) à região central da capital, reclamam que o botão de desembarque dos novos coletivos, do tipo BRT, não funciona quando os veículos passam na avenida Teotônio Vilela, perto do autódromo do bairro.

O sinal da campainha desses carros, que era para funcionar por sinal de bluetooth, sem a necessidade de fios, é cortada perto do autódromo por motivos que ainda são desconhecidos. A principal suspeita é de interferência, que poderia ser causada por uma antena, por exemplo.

Agora esteve ontem no Terminal Varginha, no Grajaú (zona sul), de onde partem duas das três linhas que apresentam defeitos no sistema.”Alguns motoristas são educados, mas outros nos xingam por acharem que não damos sinal para descer”, conta a empregada doméstica Maria Auxiliadora da Conceição, 51 anos, que utiliza diariamente a linha 5370/10 para chegar ao trabalho.

O aposentado Jacinto Oliveira, 68 anos, reclama da linha 695X/10X. “Teve uma vez que tive que voltar a pé até onde eu deveria descer. Deveriam voltar com a cordinha para dar sinal de parada.”

Já a corretora de imóveis Marcela Teixeira, 39 anos, toma a linha 5630/10 e desce em um trecho da avenida Senador Teotônio Vilela. “Tenho que gritar para o motorista do ônibus parar”, lamenta.

Serviço

O comerciante Augusto de Carvalho, 35 anos, cobra uma solução rápida. “Já pagamos caro pela passagem. O mínimo que a empresa deveria oferecer é um serviço de qualidade para todos nós.”

Motoristas que operam nas linhas acreditam que a interferência de uma antena seja a principal causa para o problema. “Há um ano temos esse problema. Enquanto isso não se resolve, temos que ficar atentos aos pedidos de parada”, conta o motorista Valdir Antônio, 49 anos.

Engenheiro aponta interferência

José Roberto Soares, professor de engenharia da Universidade Presbiteriana Mackenzie, afirma que é possível que interferências externas, como de uma antena clandestina ou desregulada, sejam as causadoras da pane dos botões de desembarque nos ônibus das linhas que percorrem o trajeto entre Interlagos (zona sul) e a região central. “Deve ter alguma antena muito potente e a frequência que ela emite deve induzir a alguma interferência”, diz.

Na visão do especialista, outra hipótese é a qualidade do sistema bluetooth. “É um sistema limitado, cin alcance de até 10 metros, porém esses ônibus articulados têm o dobro desse tamanho. Quem senta no fundo pode ser prejudicado, explica Soares. Mesmo com esses problemas, o professor diz que a alternativa sem fios é boa. “Se ajustarem, é um sistema melhor do que as antigas cordinhas ou botões”, afirma.

SPTrans orienta a parar em todos os pontos 

A SPTrans, empresa da gestão João Doria (PSDB), afirma que a equipe de fiscalização já notificou a empresa que opera os ônibus com as falhas.

De acordo com o SPUrbanuss (Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo), os coletivos têm tecnologia com sistema bluetooth e que pode ocorrer, eventualmente, interferência em alguns locais. O sindicato diz que a SPTrans realiza estudos para a solução dessas falhas.

Segundo a SPTrans, em momentos de falha no sistema, a orientação é para que os motoristas parem em todos os pontos, de forma a garantir que o usuário não seja prejudicado. A empresa diz ainda que vai realizar avaliação técnica nas linhas em conjunto com o fabricante, para identificar as possíveis causas do problema. Caso seja confirmado o problema de interferência no sistema sem fio, será necessária a realização de recall nos veículos.