Salário mínimo previsto para 2018 é de R$ 979

Personal accounting

O governo federal confirmou ontem a previsão do salário mínimo de R$ 979 no ano que vem, com a aprovação da LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias) pelo presidente Michel Temer. O valor estimado é 4,5% maior do que o mínimo deste ano, que está em R$ 937.

O salário mínimo é a base para o pagamento do piso das aposentadorias, das pensões e dos demais benefícios do INSS hoje. Por lei, nenhum segurado pode ganhar menos no país.

Entretanto, a previsão feita pelo governo na LDO poderá mudar. E a tendência é que o reajuste seja menor, pois a inflação está em baixa.

Dados do IBGE mostram que o INPC (Índice Nacional de Preços ao Consumidor), que serve como base para reajustes de salários no país, está em 2,08% nos últimos 12 meses terminados em julho.

Para o diretor técnico do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), Clemente Ganz Lúcio, é muito cedo para uma definição sobre o valor final. O especialista já trabalha com a hipótese de uma inflação menor.

“Até dezembro, essa projeção (de inflação) poderá ser revisada outras vezes”, diz.

Luz e gasolina puxam inflação

A entrada em vigor da bandeira amarela nas contas de energia elétrica no dia 1º de julho foi a principal responsável pela inflação de 0,24% no mês passado.

Segundo o IBGE, a energia ficou 6% mais cara, em média, no país no mês, custando R$ 2 a mais para cada 100 quilowatts-hora (Kwh) consumidos. Além disso, houve reajuste da tarifa da Eletropaulo em São Paulo, que foi de 5,15%.

Outro item que contribuiu para inflação alta do PIS/Cofins do combustível, que fez o álcool subir 0,73% e a gasolina, 1,06%.