Você sabe como descartar remédios vencidos?

LIXO CAPAVocê certamente encontrará uma cartela de comprimidos ou aquele frasco de xarope vencidos na caixa de remédios da sua casa. No Brasil, 14 mil toneladas de medicamentos vencem todo ano. Quando chega o momento de descartá-los, surge a dúvida: qual a melhor maneira de jogá-los fora? Se você pensou no lixo comum, no vaso sanitário ou na pia, está enganado.

O remédio é um produto químico capaz de contaminar o meio ambiente e colocar em risco a vida de pessoas que manuseiam resíduos nos aterros sanitários. A maneira correta de descartar esses medicamentos vencidos é levá-los em postos de coleta de material reciclável. Em São Paulo, materiais como algodão, gaze e objetos perfurocortantes, como seringas e agulhas, são encaminhados para usina de tratamento, onde recebem descontaminação e posteriormente são conduzidos para aterros. Já os medicamentos inválidos são incinerados em usinas ambientalmente preparadas.

Segundo a Abrafarma (Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias), um total de 704 farmácias, em 120 municípios de 12 Estados brasileiros, oferece esse tipo de serviço. Dentre elas estão grandes redes de drogarias e farmácias de hipermercados, mas é necessário checar quais lojas da sua região recebem tais resíduos, pois nem todas as unidades realizam esse serviço.

Além da iniciativa privada, administrações públicas de São Paulo e do grande ABC também disponibilizam pontos de coletas. Assim como na Capital, as UBSs (Unidades Básicas de Saúde) de São Bernardo, São Caetano e Mauá estão aptas a receber tais medicamentos inválidos. Em caso de dúvidas, você também pode buscar orientação junto à Vigilância Sanitária do seu município.

LIXO 2Atualmente, o Brasil não possui nenhuma regulamentação relacionada ao gerenciamento e destinação final desse material, porém uma lei federal que trata desse assunto está em tramitação no Congresso Nacional desde 2011. Enquanto o Ministério do Meio Ambiente não avança na aprovação dessa lei que regulamenta a logística reversa de medicamentos vencidos ou em desuso, a Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) publicou recentemente as diretrizes de como devem ser formatados os pontos de coleta para receber o material descartado pela população. A norma técnica 16457/2016 estabelece requisitos mínimos para proteção e prevenção dos riscos ao meio ambiente, segurança ocupacional e saúde pública no processo de descarte, armazenamento temporário, coleta e transporte desses medicamentos.

Depois de discutirem o tema, representantes do governo e do setor farmacêutico chegaram a um consenso sobre como será a logística de descarte de medicamentos no Brasil. Serão instalados pontos de recebimento em farmácias, clínicas, postos de saúde e ambulatórios. Como a lei ainda não foi aprovada, não se sabe quem arcará com os custos desse acordo.

Caso você tenha remédios na sua caixa e não utiliza-os, é aconselhável que sejam doados às entidades que carecem de medicamentos. Se já tiver com prazo de validade vencido, confira algumas dicas para efetuar o descarte adequado:

  1. Verifique com frequência a data de vencimento dos medicamentos que você possui em casa;
  2. Separe os remédios vencidos e mantenha-os longe do alcance de crianças;
  3. Dirija-se ao ponto de coleta mais próximo de sua casa e entregue os remédios ao farmacêutico responsável;
  4. Se você possui agulhas ou lancetas usadas no tratamento de diabetes ou outras doenças, junte-as em um recipiente rígido (garrafa pet ou lata, por exemplo), lacre-o e leve-o até a unidade básica de saúde mais próxima de sua residência.

Revista Condomínios & Residências 

maio/2017