Número de idosos na internet cresce quase 1000% em oito anos

VOA internet está conquistando cada vez mais gente, principalmente entre idosos. De acordo com pesquisa realizada pelo Instituto Locomotiva em 2016, o número de idosos brasileiros conectados à internet cresceu quase 1.000% nos últimos oito anos. São mais de cinco milhões de idosos estão conectados à web no país. A maioria dos plugados está na região Sudeste, pertence às classes A e B e tem ensino superior completo.

Diversão
Além de um meio de buscar informação, o smartphone também é ferramenta de entretenimento, quem garante isso é Ivanir Clemente, 62 anos, moradora da Vila Pires, em Santo André. Aposentada possui conta no Instagram e WhatsApp, mas vive diariamente com o aparelho na mão observando tudo que surge em seu Facebook. “Me distraio vendo fotos das pessoas. Como sou viúva e passo boa parte do dia sozinha, isso ajuda a passar o tempo”, contou Ivanir. Mas se engana quem pensa que a idosa curte postar fotos de viagens ou fazer checkin em lugares. “Prefiro discrição. Não gosto de ficar expondo minha vida. Ninguém precisa ficar sabendo o que faço”, disse.

Informação
Wilson Marques, 65 anos, que mora no Jardim Ana Maria, em Santo André, entrou no universo das mensagens instantâneas do “zap” há um mês. Eletricista aposentado, Marques revela que o desejo de participar do mundo virtual surgiu pela necessidade de não ficar de “fora” da sociedade. ” Pelo aplicativo consigo falar com família e amigos de maneira mais prática. Além disso, com o celular você fica por dentro de tudo o que acontece no mundo”, declarou. Acostumado ferramentas reais, o eletricista aposentado ainda sente dificuldades com as inúmeras funções virtuais do aparelho. “Quando aparece algum problema, peço para uma das minhas filhas me ajudar a resolver”, afirmou.

Conhecimento
Outro que se rendeu recentemente à tecnologia foi o aposentado João Farias, 80 anos, morador do Jardim Calux, em São Bernardo. Nascido em uma época em que o meio de comunicação mais utilizado entre as pessoas era a carta, o aposentado hoje aprende a usar o WhatsApp. “Não é fácil, porém nem tão difícil. A diferença é que quando temos certa idade, aprendemos mais devagar”, disse. Na lista de contatos estão apenas filhos e netos. “Quando minha família quer me encontrar, me acha por aqui”, explicou o idoso.

Psicóloga explica
A psicóloga Edelaine Nogueira ajuda a entender esse fenômeno. “Vivemos em uma era de informatização digital, onde quase tudo está sendo criado em um mundo virtual. Os idosos estão se adequando a essa nova era, por meio de cursos, parentes ou amigos para estarem antenados e atualizados com o novo”, explicou a especialista.

Edelaine diz quais sãos os benefícios dessa atividade para idosos. “Gera motivação, criatividade e a descoberta. O idoso consegue, sem perceber, exercitar o cérebro e sua coordenação motora, atenuando os possíveis sintomas de Alzheimer e Parkinson”, afirmou.

Entretanto, para manter relaciomanento saudável com as redes sociais, é preciso seguir algumas recomendações.”O relacionamento deve ser comedido. Tudo que é demais, gera dependência. Como consequência pode trazer isolamento da família, deixando de lado suas atividades e encontros familiares”, disse.

Delegado alerta
Nem tudo é lindo e maravilhoso nas redes sociais. De acordo com o delegado titular do 1º DP de São Bernardo, Aloízio Pires de Araújo, a internet esconde certos perigos. “Nunca fornecer dados pessoais, como endereço, telefone, conta bancária, número do cartão de crédito ou senhas. Desconfie sempre de oportunidades vantajosas e cuidado com sites tendenciosos para captura de informações sigilosas”, explicou.