Transferência de funcionários do Hospital Nardini gera polêmica

HOSPA transferência de profissionais da saúde e auxiliares de apoio operacional do Hospital de Clínicas Dr. Radames Nardini, em Mauá, para Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) do município é motivo de descontentamento por parte do Sindserv (Sindicato dos Servidores Públicos). De acordo com o Sindicato, 200 profissionais ligados à Secretaria de Saúde foram transferidos sem tempo hábil para adaptação da rotina.

A Prefeitura garante que apenas 40 dos 120 funcionários contratados pela Prefeitura foram remanejados para cumprir funções nas UPAs, e que até o momento não houve registro de reclamação por parte dos contratados.

O diretor-executivo do Sindserv Mauá, Marcelo Orfão, concorda com o remanejamento feito pela Secretaria, mas diz que a mudança deveria ter sido mais humana e transparente. “Os funcionários foram avisados da mudança da noite para o dia e não tiveram treinamento e tempo de hábil de adaptação para nova função. Alguns tiveram a rotina de vida alterada por conta dessa alteração”.

O ABCD Maior esteve nesta sexta-feira (24/03) no Nardini para acompanhar o funcionamento do hospital. “Tive bom atendimento, não percebi nenhuma alteração na rotina do atendimento”, disse a dona de casa Valderícia Ribeiro, 62 anos. Mesma opinião tem o aposentado Sérgio Reis, 66 anos, morador do Bairro Núcleo Dr. Sampaio Vidal. “Atendimento muito bom. Melhor, impossível”.

O Sindiserv, de acordo com o diretor Marcelo Órfão, está visitando as UPA’s para conversar com os servidores transferidos e avaliar a possibilidade de convocar uma reunião nos próximos dias para elaborar uma pauta a ser discutida com a Secretaria de Saúde do município. A ideia é tentar amenizar os possíveis desgastes causados aos trabalhadores.