Para onde vai o lixo que sai da sua casa?

LIXO 1Lixos orgânico, eletrônico, hospitalar, radioativo, urbano e industrial. Você sabe qual o destino final para todos esses resíduos? Cerca de 76% do lixo diário brasileiro, que chega a 70 milhões de quilos, são despejados em céu aberto. Somente 10% vão para lixões controlados, 9% para aterros sanitários e apenas 2% é reciclado.

Em 2010, o Senado sancionou a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS), que determina ações como extinção dos lixões do país e substituição por aterros sanitários, além da implantação da reciclagem, reuso, compostagem, tratamento do lixo e coleta seletiva nos municípios brasileiros. A lei dava prazo de quatro anos para que as cidades se adequassem à PNRS, ou seja, deveria estar em prática já em 2014.

Entretanto, a situação do destino do lixo no Brasil pouco mudou. Se, em 2013, 41,7% do lixo era depositado em locais considerados inadequados (lixões e aterros controlados), em 2014, essa parcela foi de 41,6% – redução ínfima.

Para evitar o desperdício e praticar a reutilização dos materiais, o destino correto dos resíduos deveria ser a reciclagem. Infelizmente nós, brasileiros, estamos muito atrasados quando se trata de lixo. Segundo uma pesquisa, apenas 1.055 municípios têm programas de coleta seletiva. Como o Brasil tem 5.565 cidades, esse número representa apenas 18% dos municípios.

Quando analisamos a quantidade de cidadãos atendidos ou com acesso a algum programa de reciclagem, a porcentagem cai ainda mais. Só 31 milhões de brasileiros – cerca de 15% da população total do país – contam com o serviço. Trocando em miúdos, 85% dos brasileiros não têm como destinar resíduos para reciclagem.

Lixão: Rejeitos são jogados misturados a céu aberto, sem qualquer proteção ao meio ambiente, provocando poluição e proliferação de doenças, animais e insetos.
A Lei da Política Nacional de Resíduos Sólidos, que proíbe lixões no Brasil, está em vigor desde agosto de 2014. As prefeituras que não se adequarem estão sujeitas à multa, que varia entre R$ 5 mil e R$ 50 milhões, além de responder a processo por crime ambiental.

Aterro Controlado: Local para disposição final do lixo, coberto diariamente com terra e fiscalizado, impedindo a circulação de catadores de lixo.

LIXO 2Aterro Sanitário: Os resíduos são depositados em buracos e cobertos com argila, evitando mau cheiro e insetos. Nesse sistema, os gases naturais da decomposição da matéria orgânica são coletados e queimados.

Incineração: Os resíduos são queimados em usinas de incineração. Esse método, apesar de reduzir drasticamente o volume do lixo e paralisar a ação de bactérias, é muito polêmico por ser poluente se os gases resultantes da queima não forem tratados. Além de caro, a incineração elimina a possibilidade de reciclagem. Esse processo pode ser aproveitado para produção de energia elétrica.

Centro de triagem ou usinas de reciclagem: Local onde ocorre a separação dos resíduos sólidos. Essa triagem pode ser feita de forma totalmente manual, automática, ou semiautomática. Todo o material coletado é vendido para empresas que promovem reciclagem.

Usina de compostagem: Lugar onde o resíduo orgânico é separado, triturado, peneirado e, após o método de compostagem, é transformado em adubo. Compostagem é o processo biológico de decomposição da matéria orgânica contida em restos de origem vegetal e animal (com restrições). Isso resulta em produtos que possam ser aplicados ao solo, melhorando a qualidade da terra para o plantio sem agredir o meio ambiente.

Revista Condomínios & Residências 

fevereiro/2017