Tricolor empata com Coxa no Morumbi e sai vaiado

SP 2O São Paulo viveu mais um dia para ser esquecido jogando no Estádio do Morumbi. Ontem à tarde, com pressão de quase 8.000 torcedores e do calor de 30ºC, o Tricolor desperdiçou inúmeras oportunidades de gol e empatou por 0 a 0 com Coritiba, em confronto válido pela 22ª rodada com Campeonato Brasileiro.

Foi o sétimo tropeço em 11 jogos do time são-paulino em seus domínios – três empates e quatro derrotas –, o que representa aproveitamento de apenas 45,4% dos pontos em casa. A última vitória no Cícero Pompeu de Toledo aconteceu no dia 10 de julho, diante do América-MG, por 3 a 0.

Com o empate diante do Coritiba, a equipe comandada pelo técnico Ricardo Gomes estacionou na 11ª posição na tabela de classificação, somando agora 28 pontos. Já o Coritiba tem 26, em 16º.

Em campo, as equipes economizaram futebol. O São Paulo tomou iniciativa no primeiro tempo, mas o atacante argentino Chávez desperdiçou as principais chances. Já o Coxa não provocou susto no goleiro Denis.

Na etapa complementar, o ritmo da partida não foi diferente. Chávez continuou a levar perigo, mas as grandes defesas do inspirado goleiro Wilson impediram a inauguração do placar e a festa do pequeno público presente.

Recuado durante boa parte do segundo tempo, o Coritiba levou perigo apenas aos 18 minutos, com Raphael Veiga, que completou cruzamento da direita e bateu rasteiro, mas Denis fez grande defesa com os pés.

O resultado não foi suficiente para acalmar os ânimos da torcida, que protestou com vaias depois do apito final.

O próximo compromisso do São Paulo pelo Brasileirão será no feriado de 7 de setembro. A equipe terá pela frente o Choque-Rei, diante do líder Palmeiras, no Estádio Allianz Parque, a partir das 21h45.

Ricardo Gomes critica invação a CT do São Paulo

TECNICOApós o empate em 0 a 0 com o Coritiba no Morumbi, em jogo válido pela 22ª rodada do Brasileirão, o técnico Ricardo Gomes comentou sobre a invasão de integrantes da torcida são-paulina ao CT da Barra Funda, no sábado.

“Não queríamos que isso acontecesse. Mas aconteceu. Se eu der uma resposta curta, vai ter mal-entendido. É um assunto extremamente complexo. Problema social, problema político… Aí quem conhece mais o São Paulo pode ficar mais à vontade”, opinou o treinador.

O técnico, que chegou ao clube há menos de um mês, reconheceu a má atuação da equipe, mas acredita na volta por cima. “No primeiro tempo merecíamos uma vantagem no placar, mas no segundo perdemos a confiança. Os números não são bons, claro. Mas vamos reverter esta situação. Jogar em casa, neste tipo de campeonato, é extremamente importante”, analisou o técnico tricolor.

Um dos líderes do elenco, o zagueiro Maicon também opinou sobre a má fase do clube, que não vence há três rodadas – uma derrota e dois empates. “Temos sempre uma ou duas oportunidades claras e não conseguimos marcar o gol. O tempo vai acabando e as coisas vão dificultando. Ficou claro que o São Paulo até cria, mas não consegue concluir em gol”, avaliou.