Zanetti destaca energia positiva na passagem por São Caetano

TOCHA 2A emoção marcou o fim da passagem da Tocha Olímpica por São Caetano. O ginasta Arthur Zanetti, medalha de ouro nas argolas na Olimpíada de Londres-2012, foi o último condutor da chama. O atleta recebeu o fogo no Espaço Verde Chico Mendes, saudou o enorme público presente e percorreu os 200 metros finais dentro do parque antes de entregar um dos símbolos máximos dos Jogos Olímpicos à organização, que seguiu para Santo André. “Poder carregar a tocha na cidade em que eu nasci e treino é especial para mim. Além disso, a Tocha Olímpica trouxe energia positiva a todos”, festejou Zanetti.

Uma das principais esperanças de medalha de ouro do Brasil na Olimpíada no Rio, o ginasta disse acreditar que a disputa deste ano será mais acirrada que em 2012, quando fez história ao conquistar pela primeira vez medalha de ouro para o Brasil na modalidade. “Costumo dizer que se manter no topo é dez vezes mais difícil. Preservar meu legado exigirá muito mais trabalho”, avaliou.

Já nomes como o do ex-velocista são-bernardense Sílvio Morais, 42 anos, e a ex-Seleção Brasileira de Basquete e atual coordenadora do tênis de mesa e taekwondo são-caetanenses, Vanda Dal Col, 55, desfilaram pela cidade.

“Foi um momento único em minha vida. Relembrei toda minha trajetória no esporte e de todos que ainda vivem nele. Me sinto com dever cumprido”, contou Vanda, bastante emocionada.

Por dois décimos de segundo fora da prova dos 100 metros nos Jogos Olímpicos de 1992, em Barcelona, e em 1996, em Atlanta, Sílvio Morais também se comoveu. “Não há palavras para descrever esse momento. Jamais imaginei passar por isso em minha vida.”