São Caetano realiza 8ª edição do Fila Zero

MUTIRAO 2Começar 2016 de bem com a saúde. Esse é o desejo de cerca de 3.000 moradores de São Caetano que participaram ontem da oitava edição de mutirão de especialidades, iniciativa que faz parte do Programa Fila Zero, do governo municipal, realizado no Hospital São Caetano.

O destaque desta edição ficou por conta do teste rápido e gratuito de HIV, realizado por meio da coleta de saliva do paciente. O exame fornecia o resultado em até sete minutos, com acolhimento e aconselhamento dos profissionais do Cepadi (Centro de Prevenção e Assistência às Doenças Infecciosas).

Durante as quatro horas do evento, 35 médicos atenderam pacientes em 20 especialidades, com demanda espontânea, sem a necessidade de marcar consulta. Somados todos os mutirões, já são mais de 15 mil pacientes assistidos no município.

“Estamos na contramão do péssimo estado em que anda a Saúde em nível nacional. Autoridades de outros municípios vêm conhecer nosso projeto. Hoje São Caetano é vitrine no Brasil”, comemora o coordenador médico da Secretaria de Saúde, Roberto Rodrigues Júnior.

Leopolpo Augusto Bueno, 62 anos, participou do teste de HIV apenas por rotina. “Já fiz esse exame umas quatro vezes. As pessoas têm que perder o medo ou vergonha, pois saúde é coisa séria.”

A coordenadora do Cepadi, Lucy Vasconcelos, concorda. “Infelizmente muitos ainda são fechados quando o assunto é Aids. Isso só será quebrado com a intensificação de trabalhos de prevenção como esse.”

A cuidadora de idosos Cleide Rodrigues da Silva, 43, realizou microcirurgia dermatológica e passou pelo ortopedista e cardiologista. “Não perdemos tempo, pois é tudo muito prático”, elogia.

Após sentir um desconforto nas costas, a dona de casa Vera Lúcia Jenson Mosca, 65, aproveitou para passar pelo ortopedista. “Em vias normais, levaria uns dois meses para marcar uma consulta como esta”, comemora.

O prefeito de São Caetano, Paulo Pinheiro (PMDB), festeja. “Nossa administração está feliz pela aceitação e participação de grande parte da população no programa.”