Primeira fase da Fuvest 2016 cobra ditadura e Uber

FUVEST 1Chuva e correria marcaram a primeira fase do vestibular da Fuvest (Fundação Universitária para o Vestibular) 2016, aplicada na Fundação Santo André ontem. Os candidatos tiveram que enfrentar caderno com 90 questões objetivas de múltipla escolha que envolviam disciplinas exigidas no Ensino Médio, como Português, Matemática, Física, Química, Biologia, História, Geografia e Inglês, com algumas questões interdisciplinares.

“A prova não será fácil, mas estou muito confiante”, disse Beatriz Cozza, 18 anos, minutos antes do fechamento dos portões. A jovem pretende utilizar a nota para ingressar na Faculdade de Direito da USP (Universidade de São Paulo), no Largo São Francisco. Já o estudante César Grecco, 22, que almeja o curso de Ciências da Computação na USP, demonstrou tranquilidade e confia na aprovação para a segunda fase. “Esta é a sexta vez que realizo a prova. Cada ano que passa ela fica mais fácil.”

Relações diplomáticas entre Estados Unidos e Cuba, o papel da TV na ditadura militar e a importância da Transamazônica na ocupação da região Norte do Brasil foram temas abordados. Na disciplina de Inglês, a expansão de serviços sob demanda como o Uber foi destaque.

Neste ano, 142.721 candidatos disputaram 9.688 vagas na USP e na Santa Casa. Segundo a Fuvest, não compareceram 13.922 candidatos, o que corresponde a abstenção de 9,8%.

O resultado da primeira fase será divulgado no dia 21 de dezembro. Para ser chamado para a segunda etapa, a pontuação do candidato deverá ser igual ou superior à nota de corte na carreira, calculada levando em conta o número de vagas e a média de pontos dos candidatos que concorrem ao mesmo curso.

As provas da segunda fase serão realizadas nos dias 10, 11 e 12 de janeiro.